EnglishPortuguese
EnglishPortuguese
EnglishPortuguese

Dezembro de 2021 registra aumento de 180% na procura por testes e janeiro de 2022 já mostra números mais preocupantes ainda.

Dezembro de 2021 registra aumento de 180% na procura por testes e janeiro de 2022 já mostra números mais preocupantes ainda.

Do 1º dia de dezembro até o 29ª dia, houve um aumento de mais de 180% no número de testagens por dia no Brasil, segundo a Abrafarma.

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

A situação é complexa, principalmente pelo fato de, agora, se tratar de mais de uma doença, com sintomas muito parecidos. O crescimento exponencial dos casos de gripe e da variante Ômicron do coronavírus em todo o país, trouxe um alerta para a população, que começou a procurar por testes rápidos para a detecção da Covid-19 e influenzas (gripes comum, H1N1 e H3N2).

“A comunidade médica diz que a falta de diagnóstico para as síndromes respiratórias é extremamente perigosa para a tomada de decisões sobre saúde pública.”

Alguns hospitais, que ainda possuem estoque, precisaram estabelecer ordem de prioridade, colocando na frente pacientes oncológicos, pessoas que estejam realizando hemodiálise, gestantes e idosos (a partir de 60 anos) com comorbidades.

Essa escassez de testes pode deixar os municípios brasileiros sem informações primordiais para a tomada de decisões que afetam a saúde pública, mesmo não tendo o Brasil adotado uma política pública clara em relação à testagem da população. Para ilustrar e apresentar uma visão mais clara do risco que a situação representa, observe que no dia 11 de dezembro (2021) houve 571 casos registrados em todo país e a média móvel estava em 498. No dia 11 de janeiro (2022) o número saltou para 10.924 casos e a média móvel subiu para 6.927.

“A falta de testes já atingiu os EUA e vários outros países do mundo.”

Toda essa situação de demanda por testes causou um desabastecimento no mercado fornecedor, prejudicando quem procura por este produto no mercado interno e também externo. Afinal, o brasileiro quer saber: gripe, Covid, nenhum dos dois ou os dois?

A alta demanda por testes e a consequente falta desses produtos no Brasil poderão causar a elevação dos preços ainda em Janeiro, uma vez que os mercados fornecedores, principalmente China, estarão bem atentos para terem vantagem nessa corrida aos testes.

Com o surto das gripes aliado à pandemia de Covid 19, agora impulsionada pela nova variante, muitas pessoas sentem os sintomas das doenças, que se confundem. Mas, sem um diagnóstico preciso, não sabem como agir. Testar seria uma excelente e providencial solução.

Com o objetivo de entender melhor a necessidade da saúde pública e privada no país, a QR Medical promoveu uma pesquisa e buscou por testes com novas tecnologias, trazendo diagnóstico mais completo e assertivo, inclusive considerando as novas variantes do Coronavírus. Algumas dessas soluções são os Testes rápidos de Antígenos da COVID-19, o combo INFLUENZA A (H1N1) +B e o combo COVID 19 + INFLUENZA. Consistem em imunoensaios cromatográficos rápidos para a detecção qualitativa dos antígenos dos vírus SARS-CoV-2, Influenza A (H1N1) e Influenza B presentes na nasofaringe humana.

A QR Medical acredita que a informação de qualidade é o que vai permitir um enfrentamento assertivo das doenças respiratórias e trabalha junto aos fabricantes e parceiros para acelerar e garantir o ingresso de testes à população brasileira.

Fonte: Pesquisa de mercado e CNN Brasil

Skip to content